quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Mulher magríssima

Andam imensas mulheres no mercado da Flagey, mas hoje só nos interessa aquela ali ao fundo, muito magra e direita. Tem cabelos cinza, muito esticados e enrolados para dentro. Caem por cima dos ombros como cortinas. Os lábios são gretados e o queixo também. A testa também. Na verdade, o rosto todo. (Vista ao perto, a cara desta mulher mais parece um puzzle de mil peças, de dez mil peças.)
Magríssima. Pele a mais para os ossos salientes. Pena não termos qualquer interesse pelo corpo humano, porque se tivéssemos poderíamos até estudar anatomia a partir do corpo desta mulher: na anca, depois do cinto teso de cabedal, avistamos o extremo do fémur, o grande trocanter, e mais abaixo a rótula e depois a tíbia, muito saliente e comprida, o mais longo dos ossos. Virou-nos as costas a mulher magra, está a pagar ao vendedor. Daqui se vêm as omoplatas e as costelas. Uma mulher magríssima com uma certa força na pose. Deve fazer yoga ou stretching, uma dessas aulas modernas, pois tem a coluna direitíssima e a pélvis bem centrada. Vem ao mercado comprar mangas.
Está a subir agora a Rue Malibran com a caixa ao colo. Uma caixa de cartão. Uns três quilos de mangas, se não mais. Tem o carro estacionado a meio da rua, um renault twingo azul escuro, com três portas. Abre o porta-bagagens, atira com a caixa lá para dentro, fecha o porta-bagagens, contorna o carro, entra no carro. Parece satisfeita.
A mulher magríssima vem todos os domingos ao mercado comprar mangas. A destreza dos movimentos denunciam-lhe o hábito. Se viesse comprar laranjas, ou cebolas, ou batatas, ou maçãs, ou café, ou cigarros, ou revistas cor-de-rosa, seria uma mulher normal. Mas não, esta mulher não quer nada disso.
É louca por mangas. Come mangas desenfreadamente.
Um vício, no mínimo, esquisito.

7 comentários:

tiza disse...

engraçada, essa mulher... olha, agora nada a propósito, sabes quem anda aqui pelo estoril? o paul... o tal, o auster! anda a dar autógrafos, a fazer sessões de leitura... que tal, hein?
bj

Claudette Guevara disse...

Se fosse a comprar queijos e iguarias orientais, eu ainda percebia a panca. Mas apenas Mangas?

Essa mulher precisa de uma salada de frutas na vida dela.

uxa disse...

Lembrei-me da mãe aristocrática de Greg, da série "Darma & Greg", mas um bocadinho mais anorética e 'casual'.
Adoro aquela figura elegante, e pode muito bem ser que só se alimente de mangas ...

Carlota disse...

Se esse mercado durasse até à tarde, eu talvez conseguisse encontrar a mulher das mangas...

pessoana disse...

Pois é, Carlota, eu cá também nunca chego a tempo de ver a mulher das mangas (também prefiro acordar tarde no fim-de-semana)!
No entanto, se o Paul Auster fosse ao mercado da Flagey, punha o despertador para as 7h e fazia-lhe uma espera.:-)
Não sei quem é a mãe do Greg, Uxa, mas parece-me que a mulher das mangas é belga. Só pode!
Claudette, é mesmo isso: há pessoas que precisam de saladas de frutas. Realmente, é mesmo isso! Gosto.

Sara disse...

Ela comprava também fita dentária.Cada embalagem de fita dentária tem 50m.
Ela gastava essa medida numa semana.
A mulher magríssima das mangas...

Henrique disse...

Eu acho k umas idas ao GYM e "bater" no ferro era o suficiente para ela não aparentar essa triste figura =)
Gostei da cara como um Puzzle. Lembras-te daqueles k fizemos de 10.000 peças?! Achas k ela perdeu alguma peça, por estar a ir sempre ao mercado comprar mangas? =)=)=)Bjocas Henry