terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Conto infantil para adultos: Cadeia alimentar

Naquele jardim vivem animais em harmonia: aves que voam, aves que nadam, répteis, anfíbios e insectos de toda a espécie. E naquele dia, estava uma abelha pousada numa flor quando um gafanhoto saltitão a apanhou em pleno voo. Engoliu-a, claro. Dá-se então a coincidência de vir saltitando atrás do gafanhoto um enorme sapo que lançou a língua esfomeada e apanhou o outro em pleno salto. Atrás do sapo - claro está - vinha a saltar contente um homem chinês que, lançando a confusão, o apanhou com uma só mão. Assustado, soltou o sapo um arroto e da boca saltou o gafanhoto que, abrindo a sua, deixou escapar a abelha que, por sua vez, espetou o ferrão no nariz do chinês. Fugiram todos aos saltos e em alvoroço - chinês, sapo e gafanhoto – os três muito tristes por já não terem almoço. No fim caiu a abelha aos pés da flor e os três saltitões desapareceram.
A flor abriu então as pétalas e riu-se daquele espectáculo. Estava ela nisto e aproximou-se um cágado, encantado com aquele riso. Disse:
- És muito bela!
E antes que a flor respondesse, o cagádo desceu até ela e comeu-a. Devagar. Pétala a pétala.
Curioso!, pensou o cágado, A mim ninguém me come!.
E era verdade. Havia gente que comia tartarugas, especialmente os ovos e as espécies mais carnudas, mas cágados não.
Sentiu-se, de certa forma, pouco saboroso, pouco saboreado, completamente rejeitado pela Natureza. Decidiu acabar com aquilo.
Partiu à procura de outros cágados.
Era o início de outra espécie de canibalismo.

7 comentários:

uxa disse...

(Mais uma saborosa terça-feira)

“Curioso!, pensou o cágado, A mim ninguém me come!.”

O cágado que não se fie nisso ! Há sempre um "gourmet" anafado, de talher em punho, à coca de qualquer tenrinho desprevenido !

(Ou estás a falar de um cágado ancião, já com bastante experiência, pele rija e algumas cicatrizes de "garfadas" antigas ? )

pessoana disse...

Um cágado com cicatrizes de garfadas?!
HAHHAHAHA!
Uxa, devias criar o teu blogue!
Essa é que é essa!

uxa disse...

Quanto ao blogue, prefiro "...acrescentar um ponto ao conto ou então deixar-te um ponto, um conto ou o meu ponto de vista!"

Corro o risco de incomodar, mas "a gente a família não escolhe", estás tramada !

Magui disse...

Andamos a comermo-nos uns aos outros e não vejo jeito de isto mudar.
Há os que comem com sofreguidão como o sapo e aqueles que o fazem com a amável hipocrisia do cágado. Espírito de sobrevivência!

Claudette Guevara disse...

Eu ainda tenho um livro que ilustra bem a cadeia alimentar. Ofereceram-me quando entrei na 1ª classe.

Acho que ainda hoje me fascina!

OrCa disse...

Ninguém o querendo comer, não admira que lhe tenham dado um nome daqueles: cágado. Assim uma espécie de cagado com graves perturbações de acento...

E por falar em cagado, ou melhor, em cágado, sabes que o nosso livro vai ser publicado? A sério! Agora é que é! Não estarás por cá em Maio?... Diz-me.

Jardim de brinquedos disse...

Amei tua forma de escrever... és uma grande Pessoana mesmo... Gratidão por compartilhar conosco estas belas estórias... esta eu vou contar para meus alunos nesta mesma semana, embora vá mudar o final rsrsrs não vou conseguir transformar o cágado em um canibal kkkk