sexta-feira, 31 de outubro de 2008

nascer do sol

a luz recém-chegada
não nasceu aqui.
não viveu aqui.
não pertence aqui.

é estrangeira.

a luz veio à terra morrer.
e não nascer.
jamais nascer.

a aurora é triste.

6 comentários:

João Ricardo Branco disse...

Hmm, Versos interpelantes…! Respondo, então, à interpelação (pedindo aos Versos que se animem e me leiam com atenção):

Se acham que a aurora é triste porque anuncia a morte da luz que chega à Terra, eu digo que não, que estão a ver tudo ao contrário (se não acham, peço desculpa; até escrevo um poema para me redimir)!

O que a aurora nos mostra não é a luz a morrer, nem o sol a nascer. É a Terra a viver! É a Terra a girar e a recusar parar e a aceitar que a morte da luz é a sua vida. Quando a Terra parar, morreu. E nessa altura os raios de sol que todos os dias vêm morrer à Terra num milagroso acto de generosidade terão, pela primeira vez, morrido em vão! :-)

Caros Versos, é tudo. Vão em paz e que a luz vos acompanhe!

Sara disse...

Essa luz de que se fala
Quando morre para um lugar
Logo noutro está a nascer.
Essa luz de que se fala
Está sempre a renascer.

Magui disse...

Mas o pôr-do-sol é sempre um momemto de esperança!

OrCa disse...

A aurora é triste, mas tudo iste existe, tudo isté fado...

Ana, preciso MUITO de trocar umas ideias contigo sobre os PerCursos. Tens recebido as minhas mensagens recentes sobre o assunto? Estarás por cá em 20 de Dezembro? Diz-me coisas, ou coisadas, tanto faz, logo que possas (jc.orca@gmail.com).

Ah, a despropósito: a saga do escritório dispõe da loucura irónica e da mestria habitual nos diálogos, que nos leva do riso ao desespero... Isso é bom, quando o que lemos mexe c'a gente.

Beijos.

NoKas disse...

A luz nasce, ilumina as pessoas, depois vai-se embora e deixa-as na escuridão. Cada vez estou mais convencida que a vida é uma soma de pulsos e ciclos, sempre circulares.....

uxa disse...

"a luz veio à terra morrer"

Não, não:
"na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma"