quinta-feira, 13 de março de 2008

O rapaz e a neve

Naquela noite o rapaz achou que amava. Estava escuro e havia neve.
Na mão veio pousar um pequeno floco e ele emocionou-se. Depois, num segundo, a neve morreu água e o rapaz pensou: "Este amor é impossível". Por causa disso, amou ainda mais.
Os flocos de neve eram iguais às bolas de sabão: frágeis, intocáveis, sublimes.
Os flocos caíam.
As bolas subiam.
O rapaz apercebeu-se então que o mundo estava ao contrário e soprou violento para a noite. Os flocos de neve ficaram então suspensos no ar e logo mudaram de trajectória.
(A neve já não cai; sobe.)
O rapaz fica a vê-la subir.
Os flocos de neve flutuam depois sobre as casas e tomam a forma das nuvens, confundindo a própria noite. É tão branca a neve, que os pássaros acordam para o dia. Tão bela, tão irrepreensivelmente bela, que o corpo do rapaz sente uma dor só de a ver.
O rapaz ordenou: "Cai!" e ela caiu das nuvens para morrer nas suas mãos. Ele emociona-se. Diz: "Amo-te!" pensando que o amor é a contemplação do Belo.
O rapaz bebe então a água da neve: são agora um só corpo.
Tudo isto se passa no interior de um pisa-papéis, atrás de uma redoma de vidro. Daí o movimento aleatório da neve. E o mundo ao contrário.
Tudo ali é ficção.
À excepção do Belo.
E da dor.
(Só aquele amor é real.)

7 comentários:

Magui disse...

"E o mundo ao contrário"...
"Por trás uma rodoma"...
"Os dois num só corpo"
O conto revela um amor tão belo que, desta vez , não escrevo o primeiro pensameto que me ocorreu.
É uma excepção!

Magui disse...

"Por trás de uma rodoma", leia-se

Mutti disse...

Transportas-nos para UM MUNDO CONTRÁRIO DO MUNDO AO CONTRÁRIO, pois o contrário é o teu contrário.

uxa disse...

Mais uma vez, apanhaste-me de surpresa ... Só percebi o que se estava a passar quando fechaste tudo numa redoma de vidro !
Coisa bonita !

Bom fim-de-semana

JOE ANT disse...

E eu, "repisando" as palavras que tenho escritas em vários papéis no canto da minha mesa, talvez buscando "veia" para um dia fazer um conto, mais que não seja "do vigário".
Sempre a impressionar!!
Bem hajas.
PS: Bruxelas >> virá de "bruxa"??

herético disse...

"o rapaz bebe então a água da neve: são agora um só corpo".

de magia as tuas palavras. enorme o teu talento.

Nocas disse...

Quando a neve cai sinto-me feliz... mesmo se fico molhada ate' aos ossos! se calhar tambe'm me apaixonei....