quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A felicidade é escrever um postal

A felicidade é escrever um postal.
Escrever um postal é dizer tudo dentro de um quadrado. 
É como fazer um puzzle, mas não tem nada a ver com um puzzle.
É como andar de mão dada a alguém, mas não é como andar de mão dada.
Gosto especialmente de lamber o selo.
Lamber o selo é felicidade.
Infelizmente, já não é preciso lamber o selo. 
Os selos agora são proativos. Já vêm pegajosos.
Mas antes, quando era preciso lamber, eu lambia e tinha bastante jeito, parece-me.
Se houvesse um concurso de lamber selos, eu chegaria, pelo menos, às semifinais.
Sou lambona.
Hoje estava à procura de uma coisa que não tinha nada a ver com isto e encontrei um postal gratuito da Coca-Cola. 
Tenho esta mania dos postais gratuitos. É piroso, eu sei.
O postal trazia o Pai Natal original e a frase Share happiness. 
O Natal é quando uma mulher quer, por isso decidi partilhar felicidade.
Enviar um postal a alguém é felicidade.
Receber um postal também é felicidade.
Escrever um postal é gostar de alguém dentro de um quadrado.
E eu gosto disso.
Sou quadradona.

3 comentários:

Magui disse...


Quando eu e o JOTA B. vamos a algum lado, compramos sempre postais para vos enviar e raramente o fazemos. Tenho aí uma coleção de postais!

Parabéns pelos contos!

Sara Bandarra disse...

Gosto de receber postais ;-)

Miuxa disse...

Quando o André era pequenino, eu costumava pedir a quem ia de viagem para lhe mandarem um postal. O teu pai chegou a trazer-lhe um de Londres, com a fotografia de um hippie característico nos anos 80.
Gosto de receber postais, mas compreendo a dificuldade de ter à mão as moradas das pessoas a quem se quer mandar postais. Acho que os telemóveis deviam prever uma zona nos contactos para se pôr as moradas.