quarta-feira, 19 de março de 2014

O meu pai

Porque hoje é dia do pai.
E é Natal quando uma pessoa quiser.

O Pai Natal não existe. O Fernando Pessoa também não.
Eu sempre soube disso.
O Pai Natal é o meu pai. E o Fernando Pessoa também.
O meu pai tem barba e ri-se muito, porque a vida tem piada.
Um dia apareceu sem barba e ninguém gostou.
O meu pai ficou triste, mas depois riu-se. Nós também. A barba voltou a crescer.
O meu pai come uma laranja todas as manhãs.
E escreve direito em linhas tortas.
E conhece todos os caminhos.
O meu pai tem o cartão da FNAC e sabe mexer no iPad.
E também sabe nadar. E fazer o nó de gravata.
E contar histórias macabras sobre monarcas ingleses.
O meu pai é do Benfica.
E eu sou do meu pai.

5 comentários:

Pan disse...

Vivam os pais :)

Miuxa disse...

Pronto, desta vez não vou contar nenhuma das minhas histórias.
Feliz Dia do Pai para todos os Pais e Filhos.

Bonamassa disse...

BEST DAUGHTER BLUES

Sara Bandarra disse...

O teu melhor pai do mundo num dos teus melhores contos.

ZMiguel disse...

Bonito texto!
Viva o teu Pai!