quarta-feira, 29 de julho de 2015

Supergigante no Brasil

O Supergigante chegou ao Brasil.
É verdade.

Foi uma história incrível.
O Edgar ia muito bem a correr numa estrada sempre em frente, que foi dar a outra estrada, que foi dar ao fim de qualquer coisa, e esse fim era o vento e as rochas, e o Edgar correu pelas rochas, contra o vento, contra o chão, contra tudo, entrou pelo mar adentro e continuou a correr, até que, no final das forças, no final do vento, viu um pedaço de areia ao longe, um pedaço de areia a brilhar como uma estrela, como um alarme, como uma saída de emergência, e então ele soube que aquilo não era o fim, mas sim o princípio.

3 comentários:

Magui disse...

Parabéns!
Esta noite sonhei que a festa de fim de ano "do meu local de trabalho" era a representação de partes dos teus livros. Tudo de improviso, mas com muita categoria!
E eu, toda orgulhosa, na apresentação referi as suas viagens e aventuras.

Miuxa disse...

'Parabéns' já me começa a parecer um comentário pouco original para todos os teus sucessos. Gostava de me lembrar de uma palavra ou uma expressão mais em tom de árvores rosa do Japão, ou mais acolhedora como uma persiana de madeira escura, mais ou menos exacta como um relógio antigo, mais próxima como um abraço (ou mesmo um golpe de karaté).
Beijinhos

Bonamassa disse...

EDGAR's SAMBA!