segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Sete pés

Fujo a sete pés, literalmente a sete pés, porque vejo os meus pés e também outros pés correndo, os meus pés e outros cinco pés, olho para mim, sete olhos, e não reconheço o corpo, o meu próprio corpo que é o meu próprio corpo correndo à minha frente, vários corpos à minha frente, toda eu duplicada, toda eu triplicada, toda eu sete vezes, sete pés mas não sete cabeças, o casaco pela mão, só um casaco pela mão, e tenho apenas duas mãos, só duas mãos, apesar de ter sete pés e talvez sete corpos, apesar de a tarde estar fria e de ser só uma tarde, uma só tarde, um só casaco, só um casaco, o coração contando segundos, os segundos ao contrário, 10, 9, 8, o meu corpo ao contrário, o coração que é só um, contando os segundos, sete pés, sete vidas, sete mares, sete colinas, até ao fim do mundo, o meu coração como uma granada ou como a passagem de ano, 3, 2, 1 e eu oiço uma bomba ou uma rolha saltando, qualquer coisa que explode como nos dias de festa ou nos dias de guerra e eu corro ainda mais, por causa dos pés, por causa dos outros, os pés dos outros, que não são meus, que nunca foram meus, os pés dos outros, que me seguem, e não olho para trás, nunca olho para trás, atiro o casaco e corro ainda mais, porque balanço os braços, e toda eu sou velocidade, fujo do destino, para o destino, contra o destino, o casaco azul às pintinhas, o melhor casaco de todos, qual destino, sem destino, e eu fujo a sete pés e não sou um corpo, sou tantos corpos, tenho sete vidas, para quê as vidas, morrer sete vezes e sempre a mesma morte, atirar-me sete vezes, esborrachar-me sete vezes, sempre este terror, sempre este coração, nunca o destino, sempre o destino, que é uma granada e conta os segundos, o mundo ao contrário, até ao fim do mundo, sete colinas, sete mares, sete mortes sempre iguais.

5 comentários:

JOE ANT disse...

Eu ao ler isto...
"meti os pés pelas mãos"
tropecei nas palavras,
e fiquei "sem pés nem cabeça".
...
Fiquei estupificado...
contudo, maravilhado.

Sara Bandarra disse...

Uau! Intenso.

Miuxa disse...

Associação de ideias: o Coelho, sempre apressado, sempre atrasado, da Alice no país das maravilhas.
O Chapeleiro Maluco conseguiu sentá-lo para um chá, e partiu-lhe o relógio à martelada.
Que queres ? os teus contos são muito pictóricos, como os filmes do Walt Disney.

Sara Bandarra disse...

É denso. Sete vezes denso. É desfragmentado também. Sete vezes.
Os pés, o corpo, a corrida, o casaco às pintas, as colinas, os mares, o fim do mundo.
É denso.
É sete vezes.

Magui disse...

Vales por sete!