terça-feira, 9 de novembro de 2010

Aveiro Jovem Criador 2010

No sábado passado algo de absolutamente extraordinário se passou em Aveiro: a ria rumorejou a história de todos os amores e os moliceiros soergueram-se na ria, entraram pela praça do Rossio, atravessaram o mercado do peixe e já não eram moliceiros, vejam bem!, eram mulheres empinando os narizes, os lábios coloridos de escarlate, velas cobrindo o cabelo, sirgas penduradas ao pescoço. Infelizmente ninguém deu por isso, o que foi ainda mais extraordinário. Àquela hora todos se distraíam da cidade, imergidos que estavam nas suas vidas ou nas lojas do Fórum. Outros houve que se encontravam no Museu de Aveiro, assistindo à entrega dos prémios aos jovens criadores, que eram jovens e criadores e tinham, por isso, esperança na vida, no amor, na arte e noutros substantivos abstractos.
Oh, grande perda aquela!
Os moliceiros passeando-se na cidade, sabedores de todos os segredos, e os jovens criadores comendo ovos-moles, distraídos, perplexos, regozijados. Tão jovens, tão criativos.
Coitados!

7 comentários:

Sara Bandarra disse...

Ouve até quem dissesse "passou-me tudo ao lado, sou mesmo tótó!", agora sei que sim, foi mesmo ao nosso lado. Foi uma tarde de sábado inesquecível!
Parabéns

Magui disse...

E nós temos esperança na vida, no amor, em ti que nos fazes ter esperança na vida, no amor que nos fazem...

Miuxa disse...

Parabéns!
É claro que os teus admiradores exigentes esperam que continues, sempre mais e mais, desejando-te sempre muito sucesso.

buba disse...

olha, parabéns pelo prémio! podias era publicar o conto para a gente ler! (se calhar já publicaste, eu é que não sei...)
bjs

martinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
martinha disse...

:)
às vezes as palavras são menores, para mim, claro... parabéns!

heretico disse...

tadinhos!...