quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

O meu amigo de inverno

O meu amigo novo é preto e tem metade do meu tamanho. Gosto de me abraçar a ele, de lhe apertar os botões. Tem pelo por fora e penas por dentro, é fofinho como uma almofada. Sim, o meu amigo novo é um casaco de inverno, que me assenta tão bem como um amigo de verdade. O meu amigo a fingir é feito de poliéster e poliamida, tem um capuz de pelo que me faz comichão no nariz e eu espirro e rio-me ao mesmo tempo. Andamos abraçados pela rua, damos beijinhos um no outro, contamos segredos. As pessoas olham para nós com as suas caras ruçadas e puídas, cheias de cobiça e preconceito, mas eu e o meu amigo não as vemos nem as ouvimos, estamos de cabeça enfiada no capuz. Nada me aquece como o meu amigo de inverno. Nada nos afeta. Nem a chuva, nem a neve, nem a gente. Tenho as mãos frias e o coração quente. Graças ao meu amigo de inverno.

E também porque passo a vida a perder as luvas.

2 comentários:

Magui disse...

Se trouxeres o teu amigo no Natal, ele vai ficar admirado com as caras puídas,desbotadas e cheias de inveja dos meus amigos.

Parabéns pela imaginação!

Sara Bandarra disse...

Há amigos assim.
Ainda bem.
Gosto deste teu texto.
E dos outros também.